Conselheiro Lafaiete

(31) 3761-4400

Praça São Sebastião, 35
São Sebastião - Conselheiro Lafaiete-MG

Barbacena

(32) 3339-6000

Av. Governador Bias Fortes, 381
Pontilhão - Barbacena-MG


Notícias

Desempenho de edificações – requisitos lumínico, térmico e acústico em pauta.


Com o objetivo de apresentar propostas e debater as sugestões para a revisão da norma ABNT NBR 15575: 2013 referentes aos requisitos de desempenho térmico, lumínico e acústico, foi realizada, nesta quarta-feira (13), a primeira reunião do grupo de trabalho da Comissão de Estudo de Revisão da Norma de Desempenho (ANBT/CE-002:136.001). O evento, que contou com o apoio da Comissão de Materiais, Tecnologia, Qualidade e Produtividade (Comat) da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), teve transmissão online. Confira a íntegra da reunião pela página da CBIC no Youtube.

A abertura da reunião foi realizada por Jerônimo Cabral, vice-presidente de atividades técnicas do Instituto de Engenharia (IE), Fábio Villas Boas, coordenador da comissão de estudos da revisão da ABNT NBR 15575, e por Eugênio Tolstoy de Simone, diretor técnico da ABNT. As apresentações foram feitas por: 

   • Roberto Lamberts, relator do grupo de trabalho de desempenho térmico;

   • Fernando Ruttkay Pereira, relator do grupo de trabalho de desempenho lumínico;

   • Marcos Holtz, relator do grupo de trabalho de desempenho acústico.  

Eugenio Tolstoy reforçou que a ABNT é feita em conjunto. “Todos participam do processo, nós da ABNT, os participantes do grupo de trabalho, entidades como a CBIC, que colaborou imensamente, enfim, é isso que faz o melhor resultado ser obtido”, frisou.

O diretor técnico da ABNT lembrou ainda que a construção civil é a base de sustentação da normalização brasileira e falou da importância do processo de revisão. “Para fazer uma edificação é preciso se basear em quase mil normas, 13% do acervo da ABNT é devido a construção civil. A expectativa é que esse formato que está sendo adotado para a revisão, dê celeridade ao processo. E é preciso pressa, não tem muito o que mudar e se não tiver consenso continua valendo a norma antiga. Por isso é preciso focar no que pode ser melhorado. A ideia é que o grupo de trabalho foque nos aspectos que dificultam o setor e aperfeiçoem o processo”, disse Tostoy. 

Fabio Villas Bôas, responsável por coordenar a revisão da ABNT, explicou o objetivo do encontro. “A reunião de hoje teve o objetivo de debate, estamos trazendo as nossas proposições, por isso é importante reforçar que o escopo final não está definido. Ainda vamos ouvir todas as considerações do grupo de trabalho para chegar em um consenso final sobre a revisão”, explicou.

Não alterar critérios, nem aumentar o rigor das normas neste primeiro momento, é um compromisso que será mantido, de acordo com Villas Bôas. “A ideia é eliminar assuntos dúbios que causam insegurança para empresas, projetistas e usuários. As discussões foram muito elaboradas, e o trabalho de hoje é um resultado bastante interessante, que com certeza beneficia o setor’, destacou.

Já o presidente da Comat/CBIC, Dionizio Klavdianos, reforçou que o processo de revisão da norma de desempenho é um momento bastante rico e produtivo. “Todo esse trabalho que vem sendo realizado pode ser aproveitado por todos os agentes da indústria da construção, não apenas para a revisão do texto propriamente dito, mas para projetos e parcerias que envolvam a elevação do patamar da qualidade técnica praticada por todos e o fortalecimento das nossas instituições e de nossas associadas, as construtoras/incorporadoras. Com as sugestões de revisão apresentadas, tudo leva a crer que será um debate propositivo e passível de corrigir o que está errado”, finalizou.

Os assuntos tratados na reunião têm interface com o projeto Tecnologia e Inovação na Indústria da Construção, iniciativa da CBIC que conta com a correalização o Serviço de Aprendizagem Industrial (Senai Nacional).

Fonte: cbic.org.br